Como montar um plano de negócios?

Tempo de leitura: 10 minutos

Você já ouvir falar de plano de negócio? Ele é uma importante ferramenta usada por pequenas e grandes empresas para planejar e gerenciar futuros empreendimentos, buscando reduzir possíveis margens de erros e aumentar as chances de sucesso do negócio.

O plano de negócios não serve apenas para empresas que estão começando. Ele também pode ser utilizado por empresas que já estão no mercado há um bom tempo, já que ajuda a ampliar as perspectivas de mercado e criar estratégias de negócios.

Veja a seguir o que é um plano de negócios, a importância dele e como criar um, e tire de vez a ideia de empresa do papel!

O que é um plano de negócios?

Um plano de negócios nada mais é do que a um documento que diz como sua empresa funcionará. Com ele é possível organizar e planejar o futuro do negócio com base em objetivos e propósitos.

Dessa forma você se aprofundar em informações e ideias, observando quais áreas podem ser mais lucrativas e garantir uma margem de erro muito menor na hora de investir.

Qual a importância de um Plano de Negócios?

Investir em qualquer ramo/ideia sem saber se é viável ou não é um tiro no escuro, pois nada garante que você terá sucesso. Assim, é necessário utilizar um instrumento qualificado de planejamento que te dê uma noção prévia dos cenários favoráveis e não favoráveis para o seu negócio.

Veja a seguir algumas das vantagens geradas ao ter um bom planejamento:

  • Ter maior conhecimento para prever possíveis erros e encontrar soluções para eles;
  • Análise de informações de mercado para engajar melhor com os clientes e obter bons retornos financeiros;
  • Garantir maior qualidade e custo-benefício nos seus produtos/serviços;
  • Estipular um capital de giro com base nos gastos com equipamentos, mão de obra, aluguéis, entre outros itens, e garantir um bom funcionamento da empresa.

8 passos para criar um Plano de Negócios

1. Defina um modelo de negócio

É por aqui que o processo começa e onde tudo sobre o seu plano de negócios é apresentado, de forma sintética e clara, como um resumo.

Este resumo deve ser feito com muita atenção e expondo todos os dados mais importantes, justamente porque, se eventualmente sua empresa buscar sócios, eles provavelmente lerão apenas essa parte.

Mas atenção: embora essa parte sirva como uma introdução e esteja totalmente no início, ela na verdade deve ser escrita por último. Assim todas as ideias já estarão totalmente alinhadas.

2. Escreva seu plano de negócios

Agora que você já definiu seu plano de negócios, você pode começar a escrevê-lo. Veja as etapas a seguir.

2.1. Resumo executivo

O resumo executivo é normalmente a última parte escrita do seu plano de negócios, ocupando cerca de 1 (uma) página.

É importante ter em mente que o resumo precisa ser independente do seu plano de negócios, ou seja, compreensível mesmo separado do plano inteiro. Além disso, ele deve conter todos os dados mais importantes, já que geralmente é essa parte que você enviará para futuros sócios/investidores.

A dica é abordar todas as ideias e conteúdos de maneira eficiente e breve, porque é a partir dali que as pessoas despertarão interesse.

2.2. Descrição Geral da empresa

Após o resumo executivo, chegamos na descrição geral da sua empresa. Nessa etapa, são descritas informações gerais da empresa, buscando contextualizar o leitor e mostrar sua estrutura organizacional e planos estratégicos.

Você deve inserir informações como:

  • Quanto tempo ela já está no mercado;
  • Relação de faturamentos dos anos anteriores;
  • Objetivos da empresa;
  • O que se espera;
  • Visão, missão, etc.

Adicionar conquistas que sua empresa já teve e a evolução esperada das ações da empresa também é um ponto importante.

3. Analise o mercado (problemas/concorrência)

3.1. Público alvo

É aqui que você começa sua análise de mercado. O primeiro passo é definir o seu tipo de cliente, ou seja, quem você deseja atingir no mercado.

Pergunte-se quem compraria o seu produto, onde essas pessoas se localizam (se serão na região ou em outras regiões), qual o tamanho do mercado consumidor, se os produtos têm demanda da comunidade, etc.

Mapear o público é fundamental. No final do dia você sempre venderá um produto e deixará sua marca exposta para quem quer e pode consumir o que está sendo oferecido. Por isso é tão importante entender a fundo quem é esse público para se conectar a ele e criar mais oportunidades.

3.2. Análise de fornecedores

Como qualquer outro negócio, sua empresa precisa de fornecedores para poder vender seus produtos/serviços. Dessa forma, se faz necessário encontrar empresas que forneçam o que você procura, de forma acessível e com baixos valores. Isso pode facilitar muito o seu dia a dia e com toda certeza evitará futuros transtornos.

3.3. Análise de concorrência

Após definir seu público e seus fornecedores, tenha em mente a proporção que seu ramo tem no mercado. Ou seja, observe o que você está vendendo e compare com a quantidade de pessoas que vendem o mesmo produto que você. É essencial utilizar do seu público-alvo para não perder o foco da concorrência, afinal uma empresa de brinquedos não impacta diretamente em uma empresa de flores.

De qualquer forma, fique atento aos produtos, inovações e até mesmo localidade para nunca estrar atrás dos seus concorrentes e sair perdendo quando o assunto for lucros.

4. Plano de Marketing

4.1. Estratégias de marketing

A estratégia de marketing é dividida em 3 etapas baseadas na apresentação e implementação do seu produto no mercado:

A primeira delas é o planejamento, que consiste na definição do negócio. Ali são analisadas todas as informações referentes à empresa e ao SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats – ou Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças), que correspondem ao mapeamento do seu público-alvo, posicionamento no mercado, objetivos e metas, marca e estratégia de marketing. É valido nessa etapa, pensar sobre os diferenciais que seu produto oferece.

Em seguida, temos a implementação, etapa na qual as estratégias anteriores são aplicadas e é decidido como serão feitas e por quem. Aqui devem ser assegurados os objetivos e metas.

Por último existe a avaliação, cujo objetivo é verificar as ações executadas e analisar se estavam de acordo com o planejado.

4.2. Divulgação dos produtos

Após analisarmos as estratégias de marketing, vamos pensar um pouco sobre como divulgar o seu produto. Nesse momento várias questões são postas em prática, como por exemplo: marketing digital (por meio de mídias sociais), marketing offline (banners, cartazes, flyers), além da experiência que você pretende proporcionar para o seu cliente com o seu produto.

É muito importante utilizar métricas e dados para avaliar como está o desempenho da sua empresa. Isso facilita muito o desempenho dos seus lucros.

5. Plano Operacional

Finalmente chegamos na parte de produção dos produtos e serviços. É no plano operacional onde serão avaliados todos os processos operacionais, é o roteiro da sua empresa. Alguns exemplos frequentes abordados nessa etapa são:

  • Matéria prima;
  • Como vão ocorrer os processos de produção;
  • Se haverá empresas terceirizadas no processo;
  • A utilização de estoques;
  • Os custos de produção, dentre outras atividades que exigem ações.

6. Plano Financeiro

Com todas as operações listadas, agora você precisa saber o valor que precisará investir para cada item da lista.

Os custos precisam ser todos identificados e organizados da melhor maneira para que haja uma boa análise. Afinal, estamos falando de dinheiro.

Uma dica válida é estipular um capital de giro e se programar em torno dele. Desse jeito você pode avaliar melhor os gastos com elementos que sua empresa dependerá, até mesmo se for necessário o uso de serviços terceirizados.

7. Utilize a tecnologia a seu favor

Uma maneira de garantir bons investimentos no seu negócio de maneira rentável é investindo em tecnologias que podem te ajudar com a gestão e maior controle de gastos na sua empresa.

Um bom exemplo é o VarejoCloud, que permite gerir sua empresa com um sistema totalmente em nuvem, e facilita seu controle de tudo na sua empresa, onde você estiver.

8. Organize suas metas

Por fim, termine seu projeto mostrando todas as metas futuras para os próximos anos com base em todos os outros passos vistos anteriormente.

Aqui você pode apresentar grande parte das conclusões que você tirou de todo o seu plano de empresa e apresentar uma linha do tempo didática com o número de funcionários que pretende ter, as projeções financeiras e até mesmo os gastos. Assim você terá um maior entendimento das suas metas.

Encare a jornada com mais possibilidades

Agora que você já sabe como criar um plano de negócios, aproveite para colocar em prática! Quem sabe agora essa ideia de empresa não saia do papel e faça grandes sucesso.

Esperamos que esse conteúdo tenha sido útil e esclarecedor para você!

Se quiser mergulhar mais nesse mundo, disponibilizamos um conteúdo complementar sobre como cortar gastos na sua loja, para te ajudar a começar e gerir bem seu negócio em diversas frentes. Nos vemos lá, e até a próxima!