Skip links

Varejo e indústria unem esforços para encantar o consumidor

Entenda o modelo que exige a participação de ambos os elos para satisfazer os exigentes anseios do shopper moderno, que quer encontrar o que procura, no momento que precisa, no canal escolhido

Pensar em resultados de longo prazo para as marcas e as empresas do autosserviço alimentar passa necessariamente por ressignificar o que é encantamento do consumidor. Apresentamos um especial sobre o modelo que exige a participação tanto do fornecedor quanto do varejo e discutimos os pilares que realmente contribuem para encantar o cliente final: do papel de cada um ao RH e ao ESG como estratégia de negócio; de categorias que crescem com novos hábitos a momentos especiais do ano que precisam proporcionar novas experiências.

Que colocar o consumidor no centro das decisões é um caminho sem volta, não há dúvidas. Mas entre a intenção e a atitude concreta existe ainda uma lacuna. Para fechar essa distância, é preciso revisitar o significado de “encantar o consumidor”.

Geralmente quando se fala em encantamento do cliente, a tendência é pensar em formas de atendimento dentro dos supermercados mais relacionadas à rapidez nos serviços, à gentileza do time de loja, à agilidade ao atender os pedidos dos consumidores, entre outras.

Tudo isso é muito importante, mas, para encantar de fato o consumidor, fornecedores e varejistas precisam trabalhar de forma integrada, deixando de lado interesses individuais. É com base nisso que abordamos um conceito ampliado do ato de encantar o consumidor, que permeia toda a cadeia. A soma desses esforços é que vai garantir ao cliente final encontrar o que procura, no canal e loja que deseja e no momento que precisa.

Presente em toda a jornada do consumidor: Varejo e indústria não devem medir esforços para atender o cliente em suas diversas necessidades, além de proporcionar uma experiência de compra diferenciada.

O papel de cada um

Indústria

  • Entender o consumidor para lançar produtos e soluções que realmente atendam as necessidades dele
  • Ter assertividade na previsão de demanda e na produção
  • Manter eficiência nos processos de abastecimento até o centro de distribuição do varejista
  • Trabalhar uma execução que facilite a compra pelo shopper
  • Desenvolver ações com o varejo para gerar sell out

Varejo

  • Garantir o abastecimento do seu CD à loja
  • Estar atento à reposição dos produtos nas gôndolas
  • Basear as decisões de compras no que realmente é vendido (ou seja, os produtos que de fato interessam ao consumidor)
  • Cadastrar no sortimento as inovações relevantes para o seu público
  • Trabalhar em conjunto com a indústria, compartilhando dados sobre o shopper e desenvolvendo uma boa experiência de compra

Deixe um comentário